CAROLINA KASTING
Queda - Tríptico 1

fotografia digital com impressão em backlight 
30x50cm cada

 

 

CAROLINA KASTING

Queda - Tríptico 2

fotografia digital com impressão em backlight 
30x50cm cada
tiragem de 1/3

R$3.000,00

 

 

CAROLINA KASTING

Queda - Tríptico 3

fotografia digital com impressão em backlight 
30x50 cm cada

 

 

CAROLINA KASTING

Tela 1

fotografia digital 
impressão em papel fotográfico fine art
(sem moldura)
70x105 cm

tiragem de 2/3
R$1.000,00

 

 

 

CAROLINA KASTING

Tela 2

fotografia digital 
impressão em papel fotográfico fine art

(com moldura)

104x74cm

Tiragem de 1/3

R$1.500,00

 

 

CAROLINA KASTING

Caixa - Série Readymade

fotografia digital com impressão em papel fotográfico fine art 

(com moldura)
80x45cm 

tiragem de 1/3

R$1.330,00

 

 

CAROLINA KASTING

Lâmpada - Série Readymade

fotografia digital

impressão em papel fotográfico fine art 

(com moldura)
80x45cm

tiragem de 1/3

R$1.330,00

 

 

CAROLINA KASTING

Piso Prata - Série Readymade

fotografia digital com impressão em papel fotográfico fine art 

(com moldura)

47x80cm

tiragem 1/3

R$1.330,00

 

 

CAROLINA KASTING

Tinta Branca - Série Readymade

fotografia digital com impressão em papel fotográfico fine art 

(com moldura)
54x80cm

tiragem de 2/3

R$1.330,00

 

 

CAROLINA KASTING

Vão - Série Série Passagens

impressão em adesivo fosco sobre placa PS

132x74cm
tiragem de 1/15

R$700,00

 

 

CAROLINA KASTING

Janela Preto - Série Passagens

impressão em adesivo fosco sobre placa PS

104x58cm 
tiragem de 1/15

R$700,00

  

 

CAROLINA KASTING

Janela Marrom - Série Passagens

impressão em adesivo fosco sobre placa PS
102x58cm

tiragem de 1/15

R$700,00

  

 

CAROLINA KASTING

Janela Anne - Série Passagens

impressão em adesivo fosco sobre placa PS

 103x58cm

tiragem de 1/15

R$700,00

 

 

 

CAROLINA KASTING

Jogo da Velha - Série Passagens

impressão em adesivo fosco sobre placa PS
90x135cm

tiragem de 1/15

R$700,00

  

 

CAROLINA KASTING

Janela Amarela - Série Passagens

impressão em adesivo fosco sobre placa PS

58x95cm

tiragem de 1/15

R$700,00

 

  

 

CAROLINA KASTING

Triângulo - Série Passagens

impressão em adesivo fosco sobre placa PS

90x141cm

tiragem de 1/15

R$700,00

 

 

 

CAROLINA KASTING

Prego - Série Passagens

impressão em adesivo fosco sobre placa PS

90x151 cm

tiragem de 1/15

R$700,00

 

 

 

CAROLINA KASTING

Vermelho - Série Passagens

impressão em canvas (sem moldura)

 90x131cm

tiragem de 3/15

R$1.000,00

 

 

 

CAROLINA KASTING

Caminho Cinza - Série Passagens

impressão em adesivo fosco sobre placa PS

90x134cm

tiragem de 1/15

R$700,00

 

 

 

CAROLINA KASTING

Papelão - Série Passagens

impressão em adesivo fosco sobre placa PS

90x151cm

tiragem de 1/15

R$700,00

 

 

 

CAROLINA KASTING

Pombo - Série Passagens

impressão em adesivo fosco sobre placa PS

87x150cm

tiragem de 1/15

R$700,00

 

 

CAROLINA KASTING

Shiba - Série Passagens

impressão em adesivo fosco sobre placa PS

90x154cm

tiragem de 1/15

R$700,00

 

 

CAROLINA KASTING

Janela Marrom com Magenta - Série Passagens

impressão em adesivo fosco sobre placa PS

90x123cm

tiragem de 1/15

R$700,00

 

 

BERGMANIANAS - valor da série completa R$8,400,00 com moldura

SOBRE O TRABALHO

 

O tempo que confere voz e ritmo à natureza, silenciou a paisagem urbana.

“Ouvir o ruído das pinceladas nas paredes envelhecidas” - talvez nossos sentidos só consigam perceber o passar do tempo através das camadas de tinta – a jornada do olhar, a arte percorrendo passado/criação, presente/percepção e futuro/imaginação.

Olhar, fotografar, editar, criar, expor. O processo percorre o tempo.

O olhar que atravessa a lente, frágil sentido humano, deseja enxergar através das paredes, mas não o faz, adota um critério oposto ao usual: em vez de conceber a arte com elementos da realidade em termos de imaginação, revive a realidade como se fosse arte. O processo percorre o tempo.

O tempo como contexto da constância, os blocos de concreto, a imobilidade ao ver o tempo passar, a intransponibilidade das portas e janelas que detém o controle entre o transparente e as várias camadas de imaginação. Um novo olhar e o processo percorre o tempo.

Atravessar o pensamento, sem mecanismos, sem previsões, a imaginação do artista ao retratar o momento, e mesmo o planejamento que determina a precisão do clique. O processo percorre o tempo.

Por um momento, pensei num filme no cinema, que é composto de uma sequência de imagens paradas. Mas porque são projetadas sucessivamente em alta velocidade, temos a impressão de movimento contínuo.

O tempo passa ou o processo percorre o tempo.

Sempre tive a estranha sensação de que o tempo não passa, nós é que passamos, nos movimentamos.

A sensação de que o tempo foi mais uma dessas grandezas filosóficas criadas para preencher o espaço, outro gigante inexplicável e infinito.

Platão disse que o tempo passava, o infinito não.

Afinal, não fomos nós que criamos o tempo, para medir algo imensurável? Criamos divisões, espaços direções, como criamos uma bússola, Norte, sul, leste e oeste não são infinitos se desconsiderarmos limites?

Seria o tempo a bússola do infinito?

Por um momento então imaginei meu próprio corpo, que depois de ganhar camadas de tinta, num processo chamado passado, passa a perdê-las, entre o presente que já se foi ao piscar dos olhos, e um futuro que nunca chega, porque quando chega é o fim, para então ser o recomeço.

Perdendo camadas de tinta, talvez exponho minha história, como os edifícios contam pelo que passaram ao se deteriorarem. Camadas e camadas de tinta, e percebo que de concreto só que o que foi vivido, e de incerto as questões que esse pincelar, pictorizar, desencadeiam na imaginação. A imaginação, é afinal, o futuro. O processo percorre o tempo.

A fotografia, como arte, é a nova chance da paisagem, o recomeço. Norte e sul podem ser infinitos, se servirem apenas para apontar a direção e não para definir onde chegar. O tempo, bússola do infinito aponta a velocidade, não o fim. O processo percorre o tempo.

 

Karoline Nogueira  e Cadu Lacerda 

 

PAISAGEM DO TEMPO

Artista Carolina Kasting

Curadoria Cadu Lacerda

Exposição fotográfica

Abertura dia 7 de abril de 2018 das 13 às 19horas


Na Fábrica Bhering
Obras expostas no Espaço Expositivo Bhering - 3º andar e na Medusa Urbana - 2º andar


Período expositivo: 07 de abril até 28 de abril de 2018

Endereço: Rua Orestes, 28 – 3º andar - Santo Cristo, Rio de Janeiro – RJ

Visitação gratuita

Mais informações: 
contato@eixoarte.com.br 

Organização:
EIXO Arte

.......... 

PAISAGEM DO TEMPO

A passagem do tempo na cidade grande atua na arquitetura de linhas, texturas e cores dando-lhes um caráter pictórico.

 

Em PAISAGEM DO TEMPO a imagem fotográfica ao contrário de revelar, se propõe a pigmentar, dando natureza pictórica à matéria urbana, que, suscetível à corrupção, empresta do tempo novas falas.

 

Sobrepondo entre si ideias como construção e desconstrução, composto e inacabado, material e etéreo. Imagens daquilo que passou ou ainda não foi; da matéria em seu estado de antes, que permanecerá como foi porque capturado seu espírito / ideia através do olhar que atravessa a lente, passa a fazer parte de um novo léxico.

 

O olhar que contrapôs o tempo, corrido, sem pausa, barulhento, sem ócio, ao seu estado oposto, solitário, silencioso e preenchido de vazio, transformando-o em paisagem. Aqui, a reordenação desse espaço/objeto vem ressignificá-lo como paisagem na contemplação e no silêncio da poética que subverte o tempo urbano. A impossibilidade do real, uma passagem por onde ninguém atravessa, uma janela que revela o pigmento e confunde o dentro com o fora.

 

Na busca por uma natureza mais pictórica, pela sutileza da forma na luz e sombra, pelas portas e janelas como passagens intransponíveis, em minha primeira individual, trago o olhar que se propõe a perverter a natureza fotográfica da câmera que tem como base um estranho equivoco em sua origem: o de ser um instrumento preciso e infalível como uma ciência e ao mesmo tempo, inexato e “falso” como a arte. Desse caráter híbrido da fotografia, sempre me interessou a possibilidade de utilizar a lente como um pincel (da lente o pincel), talvez para dar conta de uma profunda frustação, a de não ter capacidade de fazê-lo com a mão. Utilizar os “defeitos” da imagem técnica e transformá-los em elementos constitutivos de um nova poética, longe da mimese perfeita; negar a natureza mecânica da fotografia para dar-lhe atributos pictóricos.

Carolina Kasting